terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Conto in ... Casa de Banho

O ar encontra-se embaciado, com vapor por todo o lado. De repente ouve-se o barulho de uma porta que se abre. No fundo da casa de banho saio de dentro da banheira. Olho para o espelho existente à minha frente, na parede, embaciado, mas que dá para vislumbrar algumas partes do meu corpo molhado. Levanto os braços e escorro o meu cabelo. De seguida, com a mão esquerda, tiro a toalha do varão e cubro meu corpo, deixo a toalha cair pingada só tapando minha barriga e meu sexo, deixando ver quase todo o meu corpo.


Dirijo-me para a frente do espelho. Coloco uma perna por cima do banquinho da casa de banho e começo por secar a minha perna esquerda. Depois faço o mesmo com a minha perna direita. Sento-me no banquinho e com a toalha começo por limpar o meu pescoço, depois concentro-me no meu peito, desço até à barriga e entreabro as pernas. Cuidadosamente, limpo-me.

Depois, levanto-me e pego na toalha. Enrolo-a como se fosse cachecol e limpo minhas costas. Ao mesmo tempo, endireito as costas e meu peito, realçando o seu tamanho e textura.

Viro-me de costas para o espelho e com a toalha vou brincando enquanto seco o meu corpo. Primeiro as costas, depois desço pelo rabo, descendo mais até aos pés. Encosto o meu rabo ao espelho, baixo-me e torno a levantar-me. Roço-o pelo espelho. O contacto da minha pele quente com o espelho frio faz-me arrepiar toda. Deixo a toalha de lado. Coloco as minhas mãos no banquinho com o rabo virada para o espelho, num ângulo de 90º, faço movimentos oscilatórios da direita pata a esquerda. Meu peito grande sobressai no todo. Ponho o meu dedo indicador da mão direita na boca, molho-o, lambo-o e lentamente coloco-o no meu sexo e gemo, ao mesmo tempo que atiro minha cabeça para trás. Faço-o entrar e sair devagar, quase que o movimento não se vê, mas tu vês o meu prazer através dos meus olhos, pois eles tudo mostram e deixam transparecer. Depois um pouco mais rápido fazendo-me gemer mais alto. Tiro o dedo do meu sexo e sento-me no banquinho. Abro bem as pernas e coloco-o de novo dentro de mim. Atiro a cabeça bem para trás e com esse movimento abro mais as pernas deixando ver o meu sexo molhado. Tiro o dedo completamente molhado e levo-o até ao meu ânus. Faço-o entrar primeiro um pouco, só a cabeça do dedo, gemo...faço-o entrar um pouco mais e grito...tiro-o de uma vez e digo o teu nome...

Tu entras, mais do que te ver sinto a tua presença, o calor que emana do teu corpo. Oiço um clique, da porta que se fecha e apareces-me por trás. Viras-me para ti, abres-me as pernas e posicionas-te entre elas. Com uma mão tocas-me no queixo e levantas-me o rosto para ti. Com a outra tocas no primeiro botão das tuas calças. Lentamente desaperta-las e deixa-las cair pelas tuas pernas. Fazes o mesmo com os teus boxeurs e o teu sexo fica livre, sem amarras mesmo à frente dos meus olhos.

Pego nele, primeiro com a mão esquerda enquanto que com a direita afago os teus testículos. Depois com ambas as mãos aperto-o ligeiramente e coloco-o na minha boca. Primeiro introduzo a cabeça. Chupo-a devagar, quase com meiguice. Minha língua envolve-a. Depois introduzo mais um pouco, e um pouco mais. De repente sinto o teu membro todo dentro de mim. Com cuidado chupo-o lenta e suavemente. Primeiro pouco e depois todo, entrando e saindo até te ouvir gemer. Pões as tuas mãos na minha cabeça e direcciona-la ao ritmo do teu desejo. Sinto-o cada vez mais duro, cada vez mais quente. A tua respiração é cada vez mais intensa, e o teu gemido cada vez mais forte. Com uma cadência cada vez mais forte chupo-o, minha língua brinca com teu membro. Tiro-o fora da minha boca e seguro-o firmemente. Beijo teus testículos, brinco com teus pelos púbicos...Seguras-me a cabeça e metes de novo o teu membro dentro da minha boca. Faço-o entrar e sair do quente da minha boca. Gemes de novo e dizes com voz rouca: "Não pares! Estou quase a vir-me". E eu não paro. Continuo a chupar-te até te fazer vir dentro de mim. Engulo todo o teu líquido, toda a tua seiva, tudo até à última gota enquanto tu gritas de olhos fechados, de intenso prazer. Acaricio tuas costas, tento acalmar teu ritmo cardíaco, acarinho-te enquanto cais aos meus pés.

Beijo tua testa suavemente, teu olho esquerdo, teu olho direito, teu nariz, a maça do teu rosto direito, depois beijo a maça do teu rosto esquerda, desço até ao teu queixo. Desço mais um pouco até ao teu pescoço, onde dou beijos pequenos, à flor da pele, como se fossem borboletas que pousassem na tua pele. Subo um pouco e dirijo-me à tua orelha esquerda. Lambo-a, chupo-a, brinco com o teu lóbulo com a minha língua. Desço novamente e passo com os meus lábios pelo teu pescoço, pelo teu peito. Com a ponta da língua massajo teus mamilos até os sentir rijos. Brinco com eles, chupo-os até te arrancar novo suspiro. Sigo mais para baixo...

De repente levantas-me e colocas-me sentada no lavatório. Abres minhas pernas e ajoelhas-te entre elas. Com gentileza, quase com meiguice introduzes um dedo no meu sexo. Ele encontra-se molhado para ti, só para ti. Sorris. Introduzes dois dedos e fazes pressão. Brincas até chegares ao "ponto G". Gemo e agarro-me fortemente ao rebordo do lavatório. Tu continuas a fazer entrar e sair os teus dedos de dentro de mim, cada vez mais depressa, parando por vezes, para recomeçar logo de seguida mais depressa. De repente páras. Ajoelhas-te e abres meu sexo com as tuas mãos. Introduzes a tua língua. Primeiro devagar fazes-me vibrar, gemer...Com a tua língua, brincas, chupas, mordes suavemente levando-me a gritar de prazer. Com um ritmo cada vez maior, cada vez mais intenso, mas sempre suave, tua língua desliza pela minha vagina, brinca com os meus lábios vaginais. Introduzes a tua língua dentro de mim...lambes o meu líquido quente enquanto chupas cada vez mais. De repente aperto minhas pernas à volta da tua cabeça, grito e venho-me bem na tua boca. Chupas e lambes até à ultima gota, até eu me encontrar completamente relaxada.

Levantas-te, encostas-te a mim e beijas-me o pescoço, com pequenos beijos. Segues pelo meu peito até chegar aos meus mamilos já rijos. Chupa-los, mordes primeiro um e depois concentras-te no outro até o sentires mais rijo ainda. Beijas-me um pouco mais acima, no colo, no pescoço, na orelha. Com a tua língua brincas com o meu lóbulo até me fazeres gemer de novo. Beijas o meu queixo, a minha face esquerda, a minha fronte, de novo a minha face, o meu nariz. Posicionas-te à minha frente, entre as minhas pernas. Beijas-me na face, na orelha, onde brincas com a língua. Beijas-me no queixo e sobes mais um pouco, até ao meu lábio inferior. Beijas-me na boca.
O beijo fica cada vez mais intenso e quando introduzes a tua língua, introduzes-te também dentro de mim. Gememos ambos, enquanto me seguras pela cintura e eu te finco as unhas nas costas. Sinto-te dentro de mim, quente, duro, imenso, intenso. Mexemo-nos como se fossemos um, com uma intensidade cada vez maior. Olhas-me nos olhos no meio do desejo, seguro-te no rosto, encostamos testa contra testa, num ritmo cada vez mais frenético. Deito minha cabeça para trás e gemo longamente. Tu beijas-me o pescoço, com a língua passas por ele com lentidão, mordes-me primeiro com suavidade e depois com um pouco mais de força quando o nosso ritmo se intensifica. Seguro-te mais perto de mim, beijas-me com mais força, nosso ritmo é cada vez maior. Coloco as minhas pernas ao teu redor para te sentir mais perto, mais dentro de mim. Colocas as tuas mãos no meu rabo para me aproximar mais de ti, para te introduzires mais. Beijamo-nos com sofreguidão. Oiço-te arfar na minha orelha e eu gemo no teu pescoço. De repente, e com um movimento mais brusco introduzes-te ainda mais dentro de mim enquanto nos vimos ao mesmo tempo. Grito de intenso prazer ao mesmo tempo que te finco as unhas nas tuas costas. Tu gemes. Olhas-me nos olhos, colocas a tua testa na minha antes de me beijares nos lábios.

Sem comentários:

Enviar um comentário